Coronavírus X planejamento financeiro

Atualizado: Set 15

A crise advinda da pandemia gerou algumas inseguranças no empreendedor. Não é para menos, uma vez que muitos se viram sem vendas, consequentemente sem dinheiro, não conseguindo honrar as contas e tendo que fazer cortes severos para manter o negócio vivo. E é nesse momento que vem a pergunta: será que se eu tivesse me planejado antes, eu e minha empresa teríamos passado melhor por uma crise como essa?

O primeiro ponto para entender é que nenhum planejamento feito na empresa pode impedir crises como a de 2020, uma vez que foi oriunda de fatores externos que estão totalmente fora do seu controle enquanto gestor, assistente, analista ou sócio. Porém um bom planejamento financeiro ajuda, e muito, a mitigar riscos. Esse é o ponto. Ao planejar-se é preciso pensar em todos os riscos inerentes ao negócio, sejam aqueles que você tem controle e aqueles que você não tem. As empresas precisam estar preparadas não somente para momentos excelentes, mas também para contextos conturbados, simplesmente porque eles fazem parte da linha de aprendizado de todo e qualquer ser humano.

Pensando em momentos turbulentos empresariais, vou listar aqui 3 exemplos que já vi acontecer muito e mostrar como o planejamento financeiro pode ajudar.


1 – Queda das vendas

Pode acontecer por fatores externos, os quais você não tem controle, como crises sociais, políticas e econômicas.

Ocorrem também por fatores internos, aqui sim você tem total controle, como por exemplo insatisfação do mercado com o produto ou serviço e até mesmo mudança de público-alvo.

O planejamento financeiro ajuda a entender o quanto a empresa precisa vender para manter a estrutura de custos, despesas e lucro. Vem para auxiliar na criação de ações para reduções ou otimizações de gastos, de tal forma que eles se (re)adequem a nova realidade da empresa, a fim de manter margens e outros indicadores. Se isso não acontecer, a empresa tende a se endividar e pode até chegar a falência caso não haja um bom controle.

Outro ponto importante é entender a estrutura de custos e despesas a ponto de criar estratégias para guardar o famoso “caixa de segurança”, que nada mais é o total em R$ dessas estruturas multiplicado pelo tempo que a sua empresa pode precisar de giro em um momento crítico. Nossa recomendação são no mínimo seis meses. Ações como essas fortalecem o empreendedor para passar por momentos difíceis.

2 – Resultados sempre negativos

Aqui abre um mundo de análises e os relatórios financeiros mostram tudo! Resultado sempre é consequência, e analisar o relatório vai levar você a causa. A empresa pode estar com problemas de precificação, que acontece quando o valor de venda não cobre os custos adequadamente. Talvez os preços estejam coerentes com o mercado, então o problema pode ser inchaço na estrutura de custos. E se tratando disso, a análise vai para a operação da empresa: como ter uma operação enxuta, a ponto de comportar o preço que o mercado impõe? E por fim, outra possibilidade são despesas elevadas, muitas vezes juros de dívida ou até mesmo uma “misturinha básica de contas pessoais com as contas da empresa”.

3 – Ociosidade

Se tudo é muito bem controlado, é possível identificar até ociosidade de pessoal, principalmente quando a contratação é recorrente, ou seja, o custo ou despesa é fixo. Fica ainda mais claro em situações que há linha de produção, porque sabemos o HH necessário para a fabricação, bem como a capacidade produtiva da empresa. Com essas informações é possível identificar o quanto em R$ há de ociosidade. Se existe ociosidade é porque a produção caiu, isso significa que as vendas diminuíram. E aí vem o planejamento financeiro te mostrando tudo, bem como por quanto tempo a empresa consegue manter tal realidade, até que as vendas voltem ao normal.

Dito tudo isso, a importância do planejamento financeiro é dar segurança aos gestores principalmente em momentos difíceis, o que não quer dizer que só nessas circunstâncias se deve pensar nisso. Nos contextos positivos você prepara a empresa para possíveis riscos, pois um dia eles virão. E quando eles vierem, você estará pronto; você entenderá o porquê (conhecer a causa traz muita, mas muita segurança) e então conseguirá raciocinar melhor para tomar decisões. Lembra que você criou o “caixa de segurança” na fase boa? Pois bem, você deixou o terreno preparado, e vai conseguir criar alternativas para reverter a situação dentro do prazo necessário.

© 2020 por MR Finance