Por que é tão difícil aprovar crédito para a minha empresa?

Atualizado: Set 15

Descubra como os bancos analisam a sua empresa para aprovarem ou não o crédito para ela. Boa leitura!



É comum o recebimento diário de ofertas para acessar crédito bancário. Na hora que você topa conhecer a proposta e passa por todo o processo de análise, o banco retorna com uma negativa, reprovando a operação de empréstimo. Mas afinal de contas, por que a proposta não foi aprovada?

Veja abaixo alguns critérios analisados pelos bancos.


1. Entenda as premissas de cada produto financeiro e veja se a sua empresa está aderente a elas

A primeira coisa a ser dita é que os bancos podem ter apetite para tipo(s) de empresa(s), ou então cada produto financeiro que eles ofertam focam em determinado negócio. Isso significa que existe um nicho de atendimento, assim como qualquer empresa. Eles têm critérios como número de funcionários, faturamento mensal, mercado de atuação, entre outros.


2. Faturamento versus endividamento

As instituições financeiras costumam aprovar financiamentos para empresas que tenham CNPJs abertos a mais de 12 meses. Além disso, o crédito aprovado é um percentual do faturamento anual do negócio. Se você fatura R$ 1 milhão por ano, é muito difícil o banco liberar R$ 2 MM para você. Ter essa consciência já equilibra expectativas quanto ao possível valor a ser aprovado e vale ressaltar que cada instituição estipula um critério quanto ao percentual sobre o faturamento anual. Pela minha experiência gira em torno de 20% a 30%.

E aí vem outro ponto: os bancos têm como saber se você possui outras dívidas bancárias. Suponha que a sua empresa fatura anualmente R$ 1 MM e ela já tem um capital de giro tomado, cujo saldo devedor na data de hoje é de R$ 200 mil. Se você estiver negociando com outra instituição financeira, ela terá essas informações e, considerando que a premissa dela é liberar até 25% do faturamento anual, o máximo que ela tende a aprovar é o montante de R$ 50 mil. Veja só: somando o saldo existente de R$ 200 mil com os R$ 50 mil, temos um total de R$ 250 mil que representam 25% do faturamento anual do seu negócio. Se o saldo devedor atual fosse de R$ 300 mil, por exemplo, há grandes chances de um novo crédito ser reprovado.


3. Certidões municipais, estaduais e federais

Não são todas as instituições, mas algumas delas só aprovam crédito se todos os seus impostos estiverem em dia. Caso você tenha parcelamento de impostos, fique tranquilo(a) pois você está sim com as certidões da empresa em dia. O problema é ter débito em aberto sem qualquer tipo de negociação.

4. Inadimplência

Os bancos também têm como saber se a sua empresa é uma boa pagadora ou não, estando atrelado ao famoso score. Se a instituição financeira percebe que você já está endividado e não é um bom pagador, há grande chance de o crédito ser reprovado.

5. Garantia

Eis a grande vilã! Não há empréstimo sem ela e é muito comum o banco querer 100% de garantia, o que significa que se você tomar R$ 100 mil reais terá que disponibilizar R$ 100 mil de garantia. É preferível que seja imóveis, terrenos, veículos, contratos comerciais. A depender da garantia, a taxa mensal de juros pode aumentar, como em situações em que ela representada pelo o aval dos sócios. Nesse caso os donos da empresa terão que apresentar o imposto de renda da pessoa física para comprovar patrimônio suficiente, a ponto de o banco se sentir confortável de liberar o crédito.

A sua empresa pode ser aprovada em todos os critérios, mas se não tiver garantia a operação não irá para a frente.

Lembre-se que o banco analisa o risco da operação. Quanto mais elevado o risco, maior a taxa de juros e a chance de reprovação.



© 2020 por MR Finance